Saindo da zona de conforto!


Desde que comecei a me interessar por fotografia eu sempre me senti mais confortável tirando fotos de flores, árvores, animais e claro, do céu... Eu tinha essa vontade de tentar transformar algo simples em uma bela foto, sem a necessidade de uma pessoa que já chama bastante atenção em um fotografia. Pois bem, eis que um dia minha priminha foi em casa e eu decidi tentar sair dessa zona de conforto, decidi ver do que eu era capaz tirando fotos que eu geralmente não tirava.
Bom, devo admitir que gosto bastante dessa primeira... E o preto e branco dá uma característica bem interessante para a foto.


Essa foi tirada de um jeito um pouco diferente, ela estava brincando e eu apenas mirei a câmera para cima, sem nem ao menos olhar para o visor, e cliquei novamente. Foi mais espontânea e eu gostei dela por esse motivo.
No final, eu gostei dos resultados. Para alguém que tenta não tirar esse tipo de foto eu consegui me sentir mais confortável e deu até um gostinho de "quero fazer isso de novo".
Lembrem-se de visitar o meu Flickr, lá tem muito mais fotos de minha autoria. É só clicar nesse link!




Resenha: As Crônicas de Bane - Cassandra Clare



Sinopse:

Nesta edição ilustrada, são narradas as mais diversas aventuras do feiticeiro imortal Magnus Bane, das aclamada séries de Cassandra Clare. Entre escapadas no Peru e resgates reais na Revolução Francesa, acompanhe fragmentos da vida do enigmático mago ocorridos em diversos países e períodos históricos, com aparições de figuras conhecidas como Clary, Tessa, Will e Alec, personagens de Os Instrumentos Mortais e As Peças Infernais.


Eu comecei a leitura desse livro em meados de dezembro. Li os dois primeiros contos, não fiquei muito animada e deixei um pouco de lado. Recentemente peguei ele para ler de novo e OMG EU AMEI. O Magnus Bane é um dos meus personagens favoritos de TMI/ TID. Fiquei muito feliz quando soube que a Cassandra iria escrever contos sobre ele e que seriam narrados por ele.

O livro conta com dez crônicas que se passam ao longo de vários momentos importantes da vida do Alto Feiticeiro do Brooklyn. Neles nós vemos como Magnus conheceu personagens importantes para os outros livros, como os vampiros Camille e Raphael Santiago, além de presenciar a vida dele durante acontecimentos importantes da nossa história como: a queda da bolsa de Nova York e a revolução francesa. 

Os contos são pontuados pelo bom humor característico de Magnus, que não se deixava abalar nem pelo preconceito dos Caçadores de Sombras com os seres do submundo. Magnus é um feiticeiro, portanto ele é imortal, não se sabe ao certo quantos anos ele tem, mas sabe-se que ele está vivo há tanto tempo que ele basicamente presenciou quase todos os acontecimentos importantes, como a ascensão do ciclo de Valentim.


Estava com tantas saudades dos personagens e foi ótimo ler sobre eles de novo, principalmente vendo tudo pelos olhos do Magnus. Meus contos favoritos foram: Os rumos do amor verdadeiro (e os primeiros encontros), A última batalha do Instituto de Nova York e Salvando Raphael Santiago. Gostei bastante dos contos sobre o Magnus e o Alec, afinal Malec é vida. Foi muito fofo ver o relacionamento deles no começo.

Acredito que esse livro tenha que ser lido após o término da leitura de TMI e TID, porque alguns dos contos contêm spoilers. É uma ótima maneira de matar a saudades dos personagens até o lançamento de Lady Midnight.

A edição impressa das Crônicas de Bane ficou lindíssima. A Galera Record está de parabéns. Diagramação impecável. As ilustrações estão fantásticas. É verdadeiramente um item de colecionador para quem é fã do mundo criado pela Cassie.

  • Livro: As Crônicas de Bane
  • Autor (a): Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan e Maureen Johnson
  • Editora: Galera Record
  • Número de Páginas: 392
  • Classificação: 

Leituras do mês de Junho



Férias, sua linda, venha cá. Depois de muitos meses finalmente consegui ter tempo livre para ler. Nem acreditei quando vi que consegui ler cinco livros em junho. Pode não parecer grande coisa, mas para quem conseguia ler 2,3 livros por mês está ótimo. O melhor de tudo foi que consegui ler livros que há tempos estavam na minha TBR. Estou confiante que agora em julho, por causa da Maratona Literária de Inverno (assunto de um dos próximos posts) vou conseguir ler bem mais que isso. Quero aproveitar as férias para diminuir um pouco a minha já gigantesca TBR, até porque não sei como será a loucura do próximo semestre a finalização do meu TCC.


Finalmente depois de meses de antecipação pude ler o maravilhoso Toda Luz Que Não Podemos Ver. Não fui nem um pouco decepcionada. Atualmente ele ocupa o lugar de leitura favorita do ano, pelo menos até o momento. Fiquei encantada com o modo que o Anthony Doerr escolheu tratar de um assunto como a 2ª Guerra Mundial. Definitivamente mereceu ganhar o Pullitzer. Fiz resenha dele aqui no blog. 


Outro livro que estava bem ansiosa para ler era o Para Todos Os Garotos Que Já Amei da Jenny Han. Amei que a Intrínseca manteve a capa original. Acho ela uma graça. Aliás todo o livro é uma graça. Também fiz resenha dele aqui no blog. No momento estou lendo a sua continuação, Ps I Still Love You, que deve ser lançado aqui pela Intrínseca também no 1º semestre de 2016. 


Finalmente consegui terminar de ler As Crônicas de Bane. Tinha começado esse livro em dezembro, li as duas primeiras crônicas, deixei de lado. Decidi que deixar ele de lado por quase seis meses já estava ficando vergonhoso, porque ele foi escrito pela minha autora favorita e é sobre um dos meus personagens favoritos de TMI/TID. Nem preciso dizer que ele é incrível e Magnus Bane melhor pessoa. A resenha dele vai ao ar amanhã aqui no blog.


Como Eu Era Antes de Você estava na minha TBR há anos. Fiquei animada com as notícias sobre a adaptação, principalmente por causa do elenco (Emilia e Sam <3), e decidi que era uma boa hora para lê-lo. Nem preciso dizer que fiquei destruída, despedaçada com ele, não é? Quem leu sabe do que eu estou falando. Mesmo assim gostei muito dele e não vejo a hora de ver o filme, tenho certeza que será tão fantástico quanto o livro.


Minha última leitura do mês foi A Rainha Vermelha da Victoria Aveyard, outro livro que estava bastante ansiosa para ler. Alguns dizem que ele é uma espécie de mistura entre Game of Thrones e Jogos Vorazes, posso até ver as semelhanças, mas ele é beeeem mais que isso. A resenha dele será postada aqui em breve.
Bom, essas foram as minhas leituras do mês de junho. E vocês, o que leram? 

Flores e mais flores!


Não achava que gostava tanto de flores até me ver tirando tanta foto disso. Seja uma flor sozinha no meio de uma calçada até um gramado com diversas flores iguais. Essa primeira, por exemplo, foi a grande ganhadora do concurso de fotografia que participei, em Barueri. E não, eu não deitei no chão para tirar ela, foi um misto de mirar a lente para o lado certo com um pouquinho de sorte. E devo dizer que, se não a minha favorita, é uma delas. Fiquei em primeiro lugar na categoria que participei (amador) e isso foi o motivo para eu me animar ainda mais com essa profissão que escolhi.





Para mais fotos, vocês podem visitar o meu Flickr, é só clicar aqui!

Um passeio em Alphaville




Considero essa foto um pouco velha já, mas ainda assim não deixo de gostar dela. Tirei ela, junto com outras, com o intuito de tentar vencer o primeiro concurso de fotografia que participei, em Barueri. Não foi fácil... Como de costume, consegui deixar tudo para a última hora, mas no final deu tudo certo. Acabei por ter enviado outras quando fui me inscrever, mas tenho ela relevada e presa no meu mural, como lembrança de uma semana cheia para poder fazer tudo a tempo de participar. 

Eu tenho um Flickr com todas as minhas fotos desde que comecei a estudar sobre fotografia, vocês podem dar uma olhada aqui. Vocês vão encontrar desde plantas até corujas lá!