Diário do Mochilão: Verona - Itália

Verona entrou no meu roteiro meio que por acaso. Queria evitar ter que me hospedar em Veneza, por conta do preço alto das hospedagens. Então escolhi ficar um dia na cidade e na manhã seguinte pegar um trem para Veneza.


Casa de Julieta

A maioria das pessoas conhece a cidade por conta do romance Romeu e Julieta escrito por Shakespeare. A Casa de Julieta é um dos pontos turísticos mais concorridos da cidade. Fui nele em um domingo e estava insuportavelmente cheio. Impossível de tirar foto, tanto que não consegui tirar minha foto com a estátua da Julieta. Enfim, a casa tem acesso pela Via Cappello. A entrada é gratuita, mas se você for querer tirar uma foto na sacada, terá que pagar.

Piazza delle Erbe


Arena de Verona

Piazza Bra
Na época do Império Romano, a Piazza delle Erbe, era o fórum da cidade. Hoje em dia ela é a principal praça de Verona. Já a Piazza Bra é a maior praça de Verona. Nela está localizada a Arena de Verona, um anfiteatro construído a mais de 2000 anos atrás. Hoje em dia ele é utilizado para shows e óperas. Para quem se interessar, a Arena também está aberta à visitação. Na praça você irá encontrar inúmeros cafés e restaurantes. Foi ali que eu comi a melhor pizza da minha vida.


Porta Borsari

Castel Vecchio

Uma das coisas mais legais de Verona é que existem placas indicando a direção dos pontos turísticos. E como a cidade é pequena você consegue visitar todos eles a pé. Fiquei pouco tempo na cidade, mas achei ela uma graça.  



Próximo destino: Veneza, Itália. 

Cinema: Estreias de fevereiro

Acharam que eu ia esquecer, não é? Mas aqui está o post com os lançamentos desse mês... Segura esse tiro, se possível! 

O Chamado 3 - 02 de fevereiro
Julia (Matilda Anna Ingrid Lutz) fica preocupada quando seu namorado, Holt (Alex Roe), começa a explorar a lenda urbana sobre um vídeo misterioso. Lenda esta que diz que quem assiste morre depois de sete dias. Ela se sacrifica para salvar seu namorado e acaba fazendo uma descoberta terrível: há um "filme dentro do filme" que ninguém nunca viu antes.


Cinquenta Tons Mais Escuros -09 de fevereiro
Incomodada com os hábitos e atitudes de Christian Grey (Jamie Dornan), Anastasia (Dakota Johnson) decide terminar o relacionamento e focar no desenvolvimento de sua carreira. Ele, no entanto, não desiste tão fácil e fica sempre ao seu encalço, insistindo que aceita as regras dela. Tal cortejo acaba funcionando e ela reinicia o relacionamento com o jovem milionário, sendo que, aos poucos, passa a compreender melhor os jogos sexuais que ele tanto aprecia.


Aliados - 16 de fevereiro
Em uma missão para eliminar um embaixador nazista em Casablanca, no Marrocos, os espiões Max Vatan (Brad Pitt) e Marianne Beausejour (Marion Cotillard) se apaixonam perdidamente e decidem se casar. Os problemas começam anos depois, com suspeitas sobre uma conexão entre Marianne e os alemães. Intrigado, Max decide investigar o passado da companheira e os dias de felicidade do casal vão por água abaixo.


A Grande Muralha - 23 de fevereiro
No século XV, um grupo de soldados britânicos está combatendo na China e se depara com o início das construções da Grande Muralha. Aos poucos eles percebem que o intuito não é apenas proteger a população do inimigo mongol e que a construção esconde na verdade um grande segredo.


Segura só esse tiro! Só filmaço esse mês... Mas o "Cinquenta Tons Mais Escuros" é o mais aguardado! O que vocês querem assistir? Comentem e compartilhem com a gente! 

Diário do Mochilão: Cinque Terre - Itália

Se você ainda não ouviu falar de Cinque Terre, você PRECISA descobrir esse lugar maravilhoso na Itália. Cinque Terre fica localizada na Liguria, entre Gênova e Pisa. Ela é formada por cinco vilas: Riomaggiore, Manarola, Corniglia, Vernazza e Monterosso al Mare. Desde 1997 as cinco vilas fazem parte do patrimônio da UNESCO.

Como chegar lá: pegar um trem até La Spezia e de lá comprar o bilhete Cinque Terre Card, que dá direito a usar o serviço de trens de uma vila e outra o dia inteiro, além de acesso as trilhas.


Indo de La Spezia, a primeira vila é Riomaggiore. Além dos vinhedos, a pesca é uma das atividades características da região. Saindo da estação de trem, andando pelas vielas estreitas, você chega a marina, onde estão os barquinhos usados pelos pescadores.  

Riomaggiore



Manarola é a mais antiga das Cinque Terre e foi a minha preferida. Ela se conecta a Riomaggiore pela Via dell’Amore, porém, o caminho foi fechado por conta de desabamentos. Só é possível percorrer uma pequena distância, mas mesmo assim vale a pena, a vista é linda.

Manarola




Corniglia é a única das vilas que não está ligada ao mar mediterrâneo. Ela está localizada a 100 metros do mar. Existem duas formas de se chegar até ela: uma pequena subida de 377 degraus ou pegar um ônibus em frente à estação de trem. Apesar de não estar perto do mar, o fato de Corniglia estar no alto proporciona uma vista maravilhosa do mar mediterrâneo e das outras terre.



Corniglia

Vernazza, depois de Monterosso, é a segunda maior vila. Ela possui um pequeno porto e durante o verão a região fica cheia de banhistas.

Vernazza



Monterosso al mare é a maior e mais povoada das vilas. Ela é a mais visitada por conta da praia. Fiquei pouco tempo nela, pois foi a última que eu visitei. Se você for se hospedar na região, acredito que lá existam mais opções de onde ficar.

Monterosso al Mare




Próximo destino: Verona - Itália 

Resenha: Coração de Aço - Brandon Sanderson

Sinopse:


Misteriosamente várias pessoas, de diferentes origens, recebem superpoderes, mas são corrompidas por eles e tornam-se vilões cruéis. Após tomarem o controle das cidades para si, eles criam uma nova realidade distópica, submetendo os humanos a uma vida de servidão. Isso aconteceu há dez anos, quando David viu seu pai ser morto por Coração de Aço, ditador de Nova Chicago. Agora, ele se dedica a estudar as fraquezas desse e de outros supervilões, planejando fazer parte do misterioso grupo dos Executores, pessoas comuns com a ousada missão de matar os tiranos um a um.

"Onde existem vilões, existirão heróis. Aguarde, eles virão."

E se pessoas comuns ganhassem superpoderes? Elas iriam usar eles para o bem ou para o mal? Em Coração de Aço ao invés de se tornarem heróis, as pessoas com superpoderes se tornaram vilões. Eles são chamados de Épicos e o fato deles terem essas habilidades fez com que eles se achassem no direito de terem e fazerem o que quiserem. Tomar cidades para si, escravizar as outras pessoas, matar quem eles quiserem.

No primeiro volume da série Executores nós conhecemos a história do David. Ele viu de perto o que estrago que a arrogância dos Épicos pode causar. Ele viu seu pai ser morto por Coração de Aço quando ainda era uma criança. Mas naquele dia ele também viu que apesar de parecer ser indestrutível, Coração de Aço ainda pode ser derrotado. Desde aquele dia, David vem reunindo informações sobre os Épicos de Nova Chicago afim de achar a fraqueza de Coração de Aço e ter a sua vingança.


Grande parte da população teme os Épicos. Eles sabem que não podem lutar contra eles ou encontrariam uma morte certa. Mas, um grupo rebelde não concorda com isso. Os Executores, como são chamados, estão caçando Épicos e eliminando eles. David quer se juntar a eles para conseguir a sua vingança. Para isso ele tem que se infiltrar em uma de suas missões e convencê-los a deixar ele entrar no grupo.

“O poder corrompe. O poder absoluto corrompe absolutamente”.

As cenas de ação desse livro são incríveis. Elas te deixam agoniado, esperando que algo de ruim aconteça. Podem esperar inúmeras reviravoltas. Toda a mitologia envolvendo os Épicos, os seus nomes, suas habilidades e fraquezas, é muito original.

Essa foi a minha primeira experiência lendo um livro do Brandon Sanderson e preciso dizer que fiquei muito impressionada. Ele transformou uma temática um pouco batida (a de super-heróis e vilões) em algo diferente. Definitivamente irei ler outros trabalhos do autor, além de ler os outros volumes da trilogia. 

Livro: Coração de Aço
Autor (a): Brandon Sanderson
Editora: Aleph
Número de Páginas: 392
Classificação: 


Resenha: Carry On - Rainbow Rowell

Sinopse:


Simon Snow é um bruxo que estuda numa escola de magia na Inglaterra. Profecias dizem que ele é o Escolhido. Você pode até estar pensando que já conhece uma história parecida. O que você não sabe é que Simon Snow é o pior Escolhido que alguém já escolheu. Poderosíssimo, mas desastroso a ponto de não conseguir controlar sequer sua própria varinha, Simon está tendo um ano difícil na Escola de Magia de Watford. Seu mentor o evita, sua namorada termina com ele e uma entidade sinistra ronda por aí usando seu rosto. Para piorar, seu antagonista e colega de quarto, Baz, está desaparecido, provavelmente maquinando algum plano insano a fim de derrotá-lo. Carry On é uma história de fantasma, de amor e de mistério. Tem todos os beijos e diálogos que se pode esperar de uma história de Rainbow Rowell, mas com muito, muito mais monstros.


Carry On é uma história que apareceu primeiramente no livro Fangirl, também escrito por Rainbow Rowell. No livro a personagem Cath é fã das séries de livros do Simon Snow e escreve uma fanfic sobre ele, chamada Carry On. A Rainbow decidiu publicar essa história e eu fiquei muito feliz quando ela decidiu fazer isso.

Carry On conta a história de Simon Snow, que é considerado o Escolhido, o mago mais poderoso, aquele que irá salvar o mundo dos magos e herdeiro do Mage. Ele tem dois inimigos: O Humdrum, aquele que está sendo responsável pela destruição dos mundos do magos; e Baz, seu companheiro de quarto vampiro que desde o seu primeiro dia em Watford tenta transformar sua vida em um inferno.

Simon chegou ao seu último ano em Watford. Ele sabe que no momento em que ele acabar a escola ele vai ter que enfrentar os seus piores inimigos e há grandes chances que ele não sobreviva a isso. Ele conta com a ajuda da sua melhor amiga, Penelope, e a sua namorada, Agatha. As coisas mudam quando as aulas começam e Baz não aparece. Simon tem certeza que ele está bolando algum plano para acabar com ele de vez.

Não há como negar as influências de Harry Potter nesse livro: a escola de magia, a profecia sobre o escolhido, o vilão onisciente. Porém, ao mesmo tempo em que as histórias se assemelham em alguns aspectos, elas se diferem em outros. Eu gostei que em Carry On nem todo mundo é o que aparenta ser, o vilão não é totalmente do mal, o herói não é tão bonzinho assim.

O livro tem diversidade, personagens de etnias diferentes, personagens LGBT, o que não era comum em livros YA de fantasia até um tempo atrás. Felizmente as coisas estão mudando e cada vez mais a diversidade será abordada nesses livros. Eu estou apegadíssima aos personagens. Simon, Baz e a Penny estão na minha lista de personagens favoritos de agora em diante.

Por mais que o livro tenha terminado de forma mais do que satisfatória, eu não iria me importar nem um pouco se a Rainbow decidisse dar continuidade a ela.

Para ler esse livro não é necessário ler Fangirl antes, mas eu super recomendo a leitura dele também.

Livro: Carry On
Autor (a): Rainbow Rowell
Editora: Macmillan
Número de Páginas: 518
Classificação: