Resenha: A Court Of Thorns and Roses - Sarah J. Maas

Sinopse:

Quando Feyre, uma garota de 19 anos, mata um lobo na floresta, uma criatura vai até a sua casa exigindo uma retribuição por isso. Arrastada para uma terra mágica, da qual ela só ouvir falar em lendas, Feyre descobre que o seu captor não é um animal, mas sim Tamlin, um High Lord, um ser imortal que costumava reinar seu mundo.


Os dias passam e com isso os sentimentos dela por Tamlin se transformam de hostilidade para uma paixão, fazendo ela ignorar tudo o que lhe disseram sobre o belo e perigoso mundo dos fae. Mas uma sombra anciã e perversa sobre Prythian está crescendo e Feyre precisa achar um jeito de pará-la... ou ela irá condenar Tamlin e o seu mundo para sempre.


Quando eu soube que a Sarah J. Maas iria lançar um novo livro e que ele era uma espécie de releitura da Bela e a Fera, eu soube que teria que ler ele o mais rápido possível. Infelizmente por causa do bendito TCC, eu só pude começar a ler ele algumas semanas após o seu lançamento. O que até foi bom, pois eu li vários comentários dizendo que o livro estava fantástico. E realmente ele era tudo aquilo que estavam falando.


Após uma terrível guerra entre humanos e faes, o território de foi dividido. Ao Norte, uma muralha divide os reinos. Se um humano atravessa essa muralha, ele nunca mais volta.
Feyre é uma garota de 19 anos responsável pela sua família e um dia enquanto caçava para alimentar seu pai e suas irmãs, ela se depara com um lobo, mas ele não é um lobo qualquer, e sim um fae. Após serem quase extintos na guerra, os humanos criaram um ódio por essas criaturas e foi esse sentimento que fez com que Feyre matasse o lobo. Por causa disso, uma criatura vai até a sua casa e exige que Feyre dê a sua vida para pagar a dívida de ter assassinado essa criatura. Mas essa criatura não é um fae qualquer, mas sim Tamlin, um High Lord, um ser imortal que costumava reinar sobre aquelas terras. E é assim que ela vai parar em Prythian, na Corte da Primavera, onde passará o resto da sua vida contra a sua vontade.


No começo Feyre fica extremamente preocupada com a sua família. Quem cuidará deles agora que ela se foi? Então ela tenta de qualquer jeito achar alguma maneira de sair daquele lugar. Mas é claro que ela não consegue. E aquela hostilidade e repulsa que ela sentia por Tamlin se transforma em uma paixão. Só que como sempre, nem tudo é um mar de rosas. Feyre descobre que uma espécie de praga está se abateu sob Prythian, enfraquecendo os High Lords e essa praga não irá parar nas muralhas, irá em direção a terra dos humanos.


A Sarah tem uma capacidade excepcional em criar mundos incríveis. Já sabia disso ao ler Trono de Vidro, mas ela realmente se superou em ACOTAR. Prythian é um lugar magnífico já posso ir para lá? O reino é dividido em cortes e cada uma possui um High Lord. O nosso querido Tamlin é High Lord da Corte da Primavera, já Rhysand é High Lord da Corte da Noite. Vi várias pessoas comentando que o Rhys era um dos personagens favoritos delas e eu a todo momento não conseguia parar de sentir raiva dele. Veremos se nos próximos livros eu mudo de opinião.


Feyre é tão badass quanto a Celaena. Ela não deixa o fato de ser uma simples humana lhe intimidar, ela vai para cima de tudo sem nem pensar duas vezes. Tamlin é muito amor <3, eu não sei bem o porquê, mas ele me lembra muito o Chaol.


Se você gostou do enredo de ACOTAR, mas não consegue ler em inglês, não se desespere. A Galera Record deve lançar o livro aqui ainda esse ano. 

Livro: A Court Of Thorns and Roses
Autor(a): Sarah J. Maas
Editora: Bloomsbury USA Childrens
Número de Páginas: 432
Classificação: 

0 comentários:

Deixe seu comentário