Resenha: Toda Luz Que Não Podemos Ver - Anthony Doerr

Sinopse:

Marie-Laure vive em Paris, perto do Museu de História Natural, onde seu pai é o chaveiro responsável por cuidar de milhares de fechaduras. Quando a menina fica cega, aos seis anos, o pai constrói uma maquete em miniatura do bairro onde moram para que ela seja capaz de memorizar os caminhos. Na ocupação nazista em Paris, pai e filha fogem para a cidade de Saint-Malo e levam consigo o que talvez seja o mais valioso tesouro do museu. Em uma região de minas na Alemanha, o órfão Werner cresce com a irmã mais nova, encantado pelo rádio que certo dia encontram em uma pilha de lixo. Com a prática, acaba se tornando especialista no aparelho, talento que lhe vale uma vaga em uma escola nazista e, logo depois, uma missão especial: descobrir a fonte das transmissões de rádio responsáveis pela chegada dos Aliados na Normandia. Cada vez mais consciente dos custos humanos de seu trabalho, o rapaz é enviado então para Saint-Malo, onde seu caminho cruza o de Marie-Laure, enquanto ambos tentam sobreviver à Segunda Guerra Mundial.

Desde que eu ouvi falar desse livro pela primeira vez, quis lê-lo. Me interesso muito por assuntos relacionados à 2ª Guerra Mundial. Quando soube que ele ganhou o Pullitzer de ficção sabia que teria que ler ele o mais rápido possível. Terminei de ler a algumas horas e posso dizer com absoluta certeza que ele foi um dos livros mais fantásticos que eu li na minha vida.

Anthony Doerr conseguiu escrever de forma brilhante sobre um tema bastante recorrente. Ele conseguiu fugir de estereótipos e clichês e criou um enredo fantástico com personagens cativantes. Toda Luz Que Não Podemos Ver é uma história comovente sobre como o destino de dois jovens, Marie-Laure e Werner, de mundos tão diferentes se cruzam.

Marie-Laure mora em Paris com o seu pai, que é chaveiro-mestre do Museu de História-Natural. Ela ficou cega aos 6 anos de idade e seu pai construiu uma miniatura da sua vizinhança para que ela pudesse andar sozinha pela região. Uma vez enquanto esperava o seu pai, ela ouviu a história de um diamante chamado Coração de Fogo, que ficava guardado no museu. Lendas diziam que aquele diamante era amaldiçoado, seu portador viveria para sempre, mas todos ao seu redor morreriam. Quando a França é ocupada pelos nazistas, Marie-Laure e seu pai são obrigados a sair de Paris e ir morar em Saint-Malo com um tio-avô.

Werner e sua irmã Jutta são órfãos e vivem em um orfanato em Zollverein, Alemanha, ministrado por uma mulher francesa, a Frau Elena. Um dia eles encontram um velho rádio no lixo e Werner consegue concertá-lo. Eles conseguem sintonizar uma estação de rádio onde um homem francês ensina curiosidades para as crianças. Por ser curioso e bastante inteligente, Werner começa a concertar os rádios das pessoas da vizinhança, o que atrai a atenção de um comandante do exército alemão. Ele acaba indo parar em uma escola, onde estuda para integrar o exército alemão. Em uma das suas missões ele vai parar em Saint-Malo, tentando interceptar transmissões dos aliados, e é ali naquela cidade que a história dele e de Marie-Laure começa a se entrelaçar. 

A história compreende o período de 1934 a 1944, durante a ascensão do nazismo e a 2ª Guerra Mundial. A narração é alternada entre esses dois períodos. A escrita do autor é belíssima, poética até. Não se assuste pelo tamanho do livro, a leitura é bem fluída e quando você se der conta já vai ter terminado.

O que mais me fez gostar do livro, foi o fato do autor fugir dos tradicionais clichês do período. Ele mostra que em um período de guerra nem tudo é preto no branco. Não existe só essa coisa de mocinho e vilão. As pessoas fazem o que podem para sobreviver.

- Seu problema, Werner – diz Frederick -, é que você ainda acredita que sua vida lhe pertence.
Só posso dizer que esse livro foi um dos meus favoritos da vida e que irei indicar para todo mundo que eu conheço. Então leiam, garanto que não irão se arrepender. 

Livro: Toda Luz Que Não Podemos Ver
Autor (a): Anthony Doerr
Editora: Intrínseca
Número de Páginas: 528
Classificação: 

0 comentários:

Deixe seu comentário