Resenha: A Morte de Sarai - J. A. Redmerski


Sinopse:

Sarai era uma típica adolescente americana: tinha o sonho de terminar o ensino médio e conseguir uma bolsa em alguma universidade. Mas com apenas 14 anos foi levada pela mãe para viver no México, ao lado de Javier, um poderoso traficante de drogas e mulheres. Ele se apaixonou pela garota e, desde a morte da mãe dela, a mantém em cativeiro. Apesar de não sofrer maus-tratos, Sarai convive com meninas que não têm a mesma sorte. 

Depois de nove anos trancada ali, no meio do deserto, ela praticamente esqueceu como é ter uma vida normal, mas nunca desistiu da ideia de escapar. Victor é um assassino de aluguel que, como Sarai, conviveu com morte e violência desde novo: foi treinado para matar a sangue frio. Quando ele chega à fortaleza para negociar um serviço, a jovem o vê como sua única oportunidade de fugir. Mas Victor é diferente dos outros homens que Sarai conheceu; parece inútil tentar ameaçá-lo ou seduzi-lo. 

Em “A morte de Sarai”, primeiro volume da série Na Companhia de Assassinos, quando as circunstâncias tomam um rumo inesperado, os dois são obrigados a questionar tudo em que pensavam acreditar. Dedicado a ajudar a garota a recuperar sua liberdade, Victor se descobre disposto a arriscar tudo para salvá-la. E Sarai não entende por que sua vontade de ser livre de repente dá lugar ao desejo de se prender àquele homem misterioso para sempre.


Sempre quis ler algo da autora J. A. Redmerski e quando A Morte de Sarai foi lançado, resolvi aproveitar e ler ele. Ao ler a sinopse, vi que não era algo que eu estou acostumada a ler, mas resolvi me arriscar.

Quando Sarai tinha 14 anos, ela foi levada pela mãe para morar no México ao lado de um perigoso traficante, Javier. Ele se apaixonou por ela, e mesmo depois da morte da sua mãe, a mantém ali em cativeiro. Depois de nove anos trancafiada no deserto mexicano, sem nem saber onde exatamente ela está, ela estava perdendo as esperanças de um dia conseguir fugir daquele purgatório, até que ela vê em Victor uma chance de conseguir escapar.

Victor é um assassino de aluguel e está ali para negociar um serviço com Javier, matar um de seus rivais. Sarai sabe que ele é perigoso, mas ela não tem outra escolha a não ser entrar escondida no seu carro e esperar que ele tenha compaixão e lhe ajude a fugir. É a partir daí que o romance se desenrola.

Uma das coisas que me incomodou um pouco, mas que no final se tornou um dos motivos por eu ter gostado tanto desse livro foi que ele é bem real. Real em relação a personalidade dos personagens. Sarai, por exemplo, passou anos em cativeiro, cercada de morte e violência. É claro que isso deixaria sequelas, seria impossível e improvável que ela conseguisse seguir em frente com a sua vida tão rapidamente. Ela também sabe que para sobreviver ela vai ter que fazer o que for necessário, mesmo que isso não lhe agrade.

Victor, por outro lado, é um assassino de aluguel. Foi treinado desde jovem para não deixar que as suas emoções atrapalhem o seu julgamento. A prioridade é sempre realizar a missão com sucesso, nada mais que isso. E quando Sarai aparece, as coisas se tornam complicadas. Ele quer ajuda-la, mas sabe que isso causaria enormes problemas para ele e para a sua organização.

O tema abordado no livro, tráfico de drogas e pessoas, foi uma das coisas que me fizeram querer ler esse livro. Estava curiosa com a maneira que a autora iria abordar esses tópicos que infelizmente fazem parte da nossa realidade em um romance New Adult. Como eu havia dito, achei que foi tudo bem real, desde os acontecimentos ao longo do livro, até como a personalidade de cada personagem foi construída.

O segundo livro da série, O Retorno de Izabel, será lançado agora em julho pela Suma de Letras e eu mal posso esperar para lê-lo.

Livro: A Morte de Sarai                             
Autor (a): J. A. Redmerski
Editora: Suma de Letras               
Número de Páginas: 255
Classificação: 

2 comentários:

  1. adorei a resenha deu ate vontade de ler rsrsrs bjos ótimo texto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou Sandra. Obrigada :D

      Beijos.

      Excluir