Resenha: An Ember In The Ashes - Sabaa Tahir


Sinopse:

Laia é uma escrava. Elias é um soldado. Nenhum deles é livre.
No Império Martial, desobediência resulta em morte. Aqueles que não entregam o seu corpo e sangue para o Imperador, arriscam a execução daqueles que amam e a destruição de tudo que é importante para eles. É nesse mundo brutal, inspirado na Roma antiga, que Laia vive com os seus avós e seu irmão mais velho. Eles não desafiam o Império. Eles já viram o que acontece com aqueles que o desafiam. Mas quando o irmão de Laia é preso por traição, Laia é forçada a tomar uma decisão. Em troca pela ajuda de rebeldes que prometeram resgatar o seu irmão, ela irá arriscar a sua vida espionando a maior academia militar do Império para eles. Lá ela conhece Elias, o melhor soldado da academia, e secretamente o seu mais relutante. Elias só quer se ver livre da tirania que ele está sendo treinado para aplicar. Ele e Laia logo irão descobrir que os seus destinos estão entrelaçados e que todas as decisões deles irão mudar o destino do próprio Império.


Mesmo antes desse livro ser lançado lá fora ele já possuía bastante hype e quando foi lançado, alcançou rapidamente a lista dos mais vendidos do New York Times. Não muito tempo depois os seus direitos de adaptação comprados. Aqui no Brasil os seus direitos de publicação foram comprados pela Verus e ele será lançado com o título Uma Chama Entre as Cinzas.

O livro é inspirado no antigo Império Romano e ele possui todas as características dele: um Império extremamente militarizado, que conquista territórios e torna as pessoas que vivem neles escravos, além de treinar desde cedo seus jovens para se tornarem soldados.


O Império Martial há muitos anos atrás conquistou o território dos Scholars, um povo que detinha bastante conhecimento e era conhecido pelas suas imensas bibliotecas. Desde a invasão, os Scholars estão proibidos de aprender a ler e a escrever, caso contrário, podem ser executados ou vendidos como escravos. Para lutar contra essa opressão, um grupo de rebeldes criou uma resistência, mas eles não possuem meios para deter o Império. 

Os pais de Laia e a sua irmã mais velha faziam parte da resistência, mas foram executados quando foram capturados pelo Império. Laia agora morava com os seus avós e com o seu irmão mais velho, até que um dia, uma patrulha invade a sua casa e mata os seus avós e prende o seu irmão pela acusação de traição. Sem ter outra opção, Laia vai atrás da resistência e pede a ajuda deles para libertar o seu irmão da prisão, antes dele ser vendido como escravo ou executado. Em troca ela deve espionar a maior academia militar do Império, Blackcliff, ao mesmo tempo em que finge ser escrava de uma das pessoas mais cruéis dele, a Comandante de Blackcliff.

Elias vivia com uma tribo nômade, até que aos 6 anos de idade ele foi levado para Blackcliff pelos Augurs, seres imortais que servem de conselheiros e líderes espirituais no Império. Ele passou os últimos anos treinando para se tornar um Masks, um dos soldados mais letais do exército. Agora dias antes da sua formatura, ele planeja desertar e voltar a viver como um homem livre. Só que algumas coisas acontecem e ele tem que decidir se abrir mão de toda a sua vida irá valer a pena para ter a sua liberdade de volta. E é assim que a vida de Elias e Laia se entrelaçam, em meio a uma sociedade extremamente rígida, onde mesmo aqueles que são livres da tirania do Império não são donos de suas próprias vidas.

O hype desse livro não é uma coisa que você possa simplesmente ignorar e eu como uma leitora ávida não podia deixar de lê-lo. Geralmente com livros assim eu sempre vou com um pé atrás para evitar decepções, mas nesse caso eu fui muito surpreendida. Posso dizer que esse foi um dos melhores livros de estreia que eu li nos últimos tempos. A narrativa é bastante elaborada de modo que fique quase impossível adivinhar o que virá em seguida. Em vários momentos eu fui surpreendida, principalmente com os cliffhangers que quase todos os finais de capítulos tinham.

Achei todo o conceito dos Masks muito interessante. O fato deles usarem máscaras que se moldam no rosto deles e que mesmo assim conseguirem manter a expressão facial é algo meio surreal. Todo o momento eu ficava tentando imaginar como seria isso e não conseguia, acho que seria algo bem bizarro. Espero que eles consigam fazer de uma forma bem legal na adaptação, sem ficar algo tosco.

A narrativa é alternada entre os dois personagens principais: o Elias e a Laia. Foi muito interessante ler sob as duas perspectivas, principalmente porque os dois estavam de lados opostos, de um lado um soldado do Império e de outro uma escrava.

Li que o livro seria inicialmente um stand alone, mas que devido ao sucesso uma sequência foi confirmada para o ano que vem. O modo como o livro terminou definitivamente deixa espaço para uma sequência, se ele tivesse sido apenas um stand alone teria tido um final muito aberto.

Indico esse livro para todo mundo. Leiam porque vocês não irão se arrepender. 

Livro: An Ember In The Ashes
Autor (a): Sabaa Tahir
Editora: Razorbill
Número de Páginas: 446
Classificação: 

2 comentários:

  1. Esse é minha próxima compra. Quando vi a capa me apaixonei. Parece ser tão bom! <3
    http://eusouumpoucodecadalivroqueli.blogspot.com.br/
    Bjão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é linda não é? O livro é ótimo, você vai adorar :D

      Beijos.

      Excluir