Resenha: Lírio Azul, Azul Lírio - Maggie Stiefvater



Sinopse:

A complexa teia de intrigas, magia e ação torna-se ainda mais enigmática no terceiro volume da série Blue Sargent encontrou coisas. Pela primeira vez na vida, ela tem amigos em quem pode confiar e um grupo ao qual pertencer.
Os garotos corvos a acolheram como se ela fosse um deles. Os infortúnios deles tornaram-se dela e vice-versa. O problema de coisas encontradas, porém, é a facilidade com que podem se perder. Amigos podem trair. Mães podem desaparecer. Visões podem iludir. Certezas podem se desfazer.

A casa da Rua Fox, 300 não é mais a mesma. Desde o desaparecimento de Maura Sargent, mãe de Blue, as coisas mudaram. Blue não sabe como encontrar sua mãe, mas sabe que o seu desaparecimento está conectado com o mistério do rei galês Glendower. Ela juntamente com Gansey, Adam, Ronan e Noah continuam a sua busca. Eles sabem agora que existem 3 adormecidos: um deve ser acordado, enquanto outro não pode de jeito nenhum ser, mas eles não sabem quem é quem.

Uma ameaça chega à Henrietta. O ex-empregador do Homem Cinzento chegou na cidade com o propósito de capturar o Greywaren, ele acredita que o objeto capaz de criar coisas através de sonhos está em posse de Ronan Lynch, mas mal ele sabe que o Greywaren é o próprio Ronan. 

Adam fez um sacrifício, ele se tornou as mãos e os olhos de Cabeswater. Ele é agora responsável por fazer com que as necessidades de Cabeswater sejam atendidas, mesmo sem entender a linguagem usada por ela para se comunicar com ele. Ele vai contar com a ajuda de Persephone, uma das médiuns da Rua Fox, para entender as particularidades da divinação e da mediunidade. 

Blue está cada vez mais confusa com relação aos seus sentimentos. Ela sente algo muito forte por Gansey, mas sabe que isso é impossível por conta da sua maldição. O fato de ela ter visto o espírito dele morto um ano antes também não ajuda em nada.  

Uma das coisas que eu notei ao ler esse livro, foi o amadurecimento dos personagens. Eles se desenvolveram bastante desde o primeiro livro. O Adam foi o que mais mudou. No começo ele me irritava bastante com aquele papo de não se encaixar em lugar nenhum, de se fazer de vítima o tempo todo ao invés de tentar mudar as coisas. Agora ele finalmente tomou as rédeas da sua vida e aceitou quem ele é.

A Blue é uma das minhas personagens femininas favoritas. Ela fala o que quer. Não liga para a opinião dos outros. ADORO ELA. O Ronan também é assim. É incrível como os dois são parecidos, por isso fingem não gostar um do outro. Mas nós sabemos que não é bem assim. O Gansey é o responsável por manter todos unidos. Ele que iniciou a busca por Glendower e que trouxe todos para ela. Tenho algumas teorias sobre ele, mas que não posso falar por conta de spoilers. Acho o Noah um personagem incrível, ele quase não apareceu nesse livro, mas acho que terá um papel importante no próximo. Vamos ver. 

Lírio Azul, Azul Lírio foi um livro bem menos parado do que os seus dois livros anteriores. O desaparecimento de Maura e a certeza de que eles estavam cada vez mais próximos de Glendower, fez com que a narrativa fosse mais tensa. Eu não fazia ideia do que iria acontecer em seguida. E isso é uma das melhores coisas nos livros da Maggie. O enredo é tão original e singular que ele não é previsível. Eu fui totalmente pega de surpresa com algumas partes do livro.

A Maggie sempre, sempre termina o livro com o cliffhanger e dessa vez não foi diferente. Não faço ideia do que esperar do último livro da série, The Raven King, que lança ainda esse ano. Espero que ela consiga amarrar as pontas soltas e não deixar nada para trás. Eu estou bastante apegada aos personagens. Não faço ideia como a Maggie irá resolver a situação envolvendo a ~ morte do Gansey ~ se ele vai morrer mesmo, se ele vai ser ressuscitado. Não faço ideia. 

Agora só me resta esperar o lançamento de The Raven King para descobrir como tudo irá terminar.  

Livro: Lírio Azul, Azul Lírio

Autor (a): Maggie Stiefvater

Editora: Verus

Número de Páginas: 347

Classificação:  

0 comentários:

Deixe seu comentário