A falta de representatividade na literatura Young Adult

Eu resolvi fazer esse post para falar de uma coisa que tem me incomodado muito a algum tempo já: a falta de representatividade na literatura Young Adult. Não me levem a mal, eu amo os livros YA, é basicamente o que eu leio, só que eu tenho ficado muito frustrada com as minhas últimas leituras. Olhando os livros que eu li ano passado e esse ano, pouquíssimos possuem uma diversidade em seus personagens. A maioria segue alguns estereótipos: pessoas brancas, com a aparência física adequada aos padrões da sociedade e héteros. Não vou nem entrar no mérito da questão de falta de personagens femininos em posições de poder, isso é um assunto para outro post.
Mas porque a representatividade é importante? Ué, porque ela representa a realidade. Nem todo mundo tem olhos azuis, um corpo escultural e cabelos loiros, como a maioria dos livros representam. E é muito frustrante para um leitor não se ver representado nos livros que ele lê, seja pela falta de personagens diversos com a etnia dele, com a orientação sexual ou até com a sua aparência estética.
Por algum milagre, às vezes nos deparamos com algum personagem diverso, mas ele não faz parte do círculo de personagens principais então ele meio que fica às margens da história. Tive sorte de ler alguns livros com maior representatividade, eles não são perfeitos, mas já é um avanço.
Isso acontece porque o mercado editorial segue um padrão: eles veem o que está fazendo sucesso no momento e começam a lançar uma tonelada de livros seguindo essa fórmula certeira. Isso é um negócio, eles apostam naquilo que é dinheiro certo. Cabe a nós, o mercado consumidor, começarmos a ditar as regras. Se nós começarmos a exigir mais livros com diversidade, mais livros serão publicados. 

0 comentários:

Deixe seu comentário