Planejando um mochilão pela Europa

Meu intercâmbio está chegando ao fim, mas meu tão sonhado mochilão começa hoje. Resolvi fazer esse post para contar como que eu fiz para planejar ele, onde eu comprei minhas passagens, como que eu escolhi os meus destinos e etc. Resolvi fazer esse post contando da minha preparação e depois irei fazer outro contando como foi a minha experiência, as coisas que deram certo e as coisas que não deram.

1.       Escolher o seu roteiro

Bom, eu já tinha uma lista de lugares que eu queria conhecer, então tecnicamente foi mais fácil. Digo tecnicamente porque nem sempre você consegue montar um roteiro linear (como Portugal – Espanha – Itália), as vezes para diminuir os custos você vai ter que fazer viagens mais longas entre países mais afastados (vou explicar um pouquinho mais sobre isso no próximo tópico). Meu roteiro foi alterado várias vezes conforme eu fui pesquisando as passagens.

 2.       Pesquisar passagens

Como o intuito do mochilão é viajar por vários países gastando pouco, pesquise (e pesquise muito) as passagens. Opte por companhias áreas low cost ou se for possível viaje de ônibus ou de trem. Todos os meus trechos de avião vão ser com a Ryanair, mas existem outras companhias, só dar uma pesquisada. Não se esqueça que com essas companhias há um limite do tamanho da mala de cabine e a bagagem despachada não está inclusa na passagem. Então nem pense em viajar com malas gigantescas, não vale a pena. Viajar de ônibus e de trem pode ser uma ótima opção, porque você não tem que se preocupar em fazer check-in, chegar horas antes do vôo, todo esse stress. Porém, as passagens podem ser mais caras, então você tem que ver os prós e os contras.

 3.       Pesquisar hospedagem

Acho que uma das coisas que mais me levou tempo para decidir foram as hospedagens. Não queria gastar muito com elas, mas também queria ter um pouco de conforto e não ficar muito afastada do centro das cidades. Com exceção de 3 cidades, em todas as outras eu irei ficar em hostels. Neles eu dei preferência para quartos femininos e com armários nos quartos (por questões de segurança). Fiz reservas nos sites do Booking e no HostelWorld. Fiz algumas pesquisas no Airbnb também, mas para mim sairia muito caro. Não tem jeito, tem que pesquisar bastante e ver o que na relação de custo x benefício irá te beneficiar mais. 

4.       Pesquisar pontos turísticos

Visitei vários blogs e sites de viagens e peguei inúmeras recomendações do que visitar. Dei preferência para pontos turísticos gratuitos ou que tivessem desconto para estudantes. Descobri um site maravilhoso que me ajudou e MUITO a montar o meu roteiro diário. Ele se chama Visit A City. Ele já tem roteiros prontos de várias cidades e você pode alterando eles de acordo com as suas preferências. O melhor é que ele ainda monta o roteiro de acordo com o horário de funcionamento dos locais, assim você não corre o risco de chegar em uma atração e ela estar fechada. O site também possui um app, onde você pode baixar mapas e usá-los off-line.

5.       Arrumar suas malas

Para mim essa é a pior parte. Ainda mais que para aproveitar o preço baixo das passagens você tem que levar uma bagagem reduzida. Então não adianta levar mil pares de sapato e peças de roupa. Leve roupas que combinem entre si. Em algum momento da viagem você terá que lavá-las, não tem jeito. Outra dica para vôos em companhia low cost: Líquidos devem ter até no máximo 100 ml, mais que isso eles irão para o lixo. Nem adianta chorar. E todos devem estar dentro de um saquinho transparente que eles disponibilizam antes de passar a mala no raio-x.

6.       Aproveite!

E por fim, aproveite ao máximo a sua viagem. Pode ser uma correria, uma doideira, mas garanto que será uma experiência maravilhosa.

0 comentários:

Deixe seu comentário