Resenha: The Invasion of The Tearling - Erika Johansen

Sinopse:
A cada dia que passa, Kelsea Glynn está vendo suas responsabilidades como Rainha de Tearling crescerem. Ao parar os carregamentos de escravos para o reino vizinho de Mortmesne, ela entrou em conflito com a Rainha Vermelha, uma líder brutal cujos poderes derivam de magia negra. Agora ela está enviando seu exército para Tearling para pegar de volta o que é dela. E nada irá parar a invasão.

Mas conforme o exército Mort se aproxima, Kelsea desenvolve uma misteriosa conexão com um período antes da travessia, e ela se vê dependente de uma estranha e possivelmente perigosa aliada: uma mulher chamada Lily, lutando pela sua vida em um mundo onde ser mulher pode parecer um crime. O destino de Tearling – e da alma de Kealsea – pode estar nas mãos de Lily e na história dela, mas Kelsea pode não ter tempo suficiente para descobrir. 

Que livro! Eu já havia sido surpreendida pelo primeiro livro dessa trilogia, The Queen of The Tearling e fui surpreendida de novo ao ler sua sequência. A trilogia segue a vida de Kelsea Glynn, herdeira do trono do Reino de Tearling, que teve que viver escondida até que tivesse completado a maior idade para assumir o seu trono. Várias pessoas, incluindo o seu Tio e Regente, a Rainha de Mortmesne, entre outros, a queriam morta, pois ela era uma grande ameça. No primeiro livro Kelsea consegue chegar ao trono, mas sem antes fazer mais inimigos pelo caminho. Para salvar o seu povo da escravidão no Reino de Mortmesne, ela colocou todos em perigo. Agora o exército da Rainha Vermelha irá marchar até Tearling para reaver tudo o que eles perderam com a quebra do acordo entre os dois reinos.

Ao mesmo tempo em que Kelsea precisa lidar com a iminente derrota para Mortmesne (eles estão em menor número, não possuem armas de boa qualidade), ela precisa lidar com questões internas que ameaçam o seu reinado. O Holy Father e sua God’s Church, não concordam com as mudanças que Kelsea quer fazer no reino. O fato de ela não ser uma fiel a religião deles também não ajuda em nada. Para piorar ainda a situação, Kelsea começa a ter vislumbres da vida de uma mulher que viveu antes do período da travessia. Agora ela tem que correr contra o tempo e achar uma maneira para salvar o seu povo e a si mesma.

Kelsea é uma personagem de opinião própria. Ela é obstinada e mesmo que valorize a opinião de algumas pessoas, no fim a decisão final é dela. Independente se a maioria das pessoas concordem com isso ou não. Isso rendeu a história momentos muito engraçados, principalmente quando ela tinha que lidar com o Holy Father. Ela ainda não sabe muito bem como lidar com as suas “habilidades”. Ela não sabe controla-las, mas sente que cada vez mais elas estão aumentando.

Nesse volume, uma história paralela foi introduzida. Nela nós vemos como o mundo era antes da travessia, acompanhando a história da Lily, uma mulher com uma vida perfeita como fachada, mas que tinha que lidar com o seu relacionamento abusivo dentro de casa. No começo fiquei um tanto quanto confusa com relação a essa história paralela, mas aos poucos as coisas vão se revelando e fazendo mais sentido.

Ainda não sei como essa trilogia não foi publicada aqui. Hello editoras, publiquem logo ahahahha. O último volume da trilogia, The Fate of The Tearling, lança esse mês. Mal posso esperar para descobrir como a história irá acabar.

Livro: The Invasion of The Tearling
Autor (a): Erika Johansen
Editora: Bantam Books
Número de Páginas: 572
Classificação: 

0 comentários:

Deixe seu comentário