Resenha: Crooked Kingdom - Leigh Bardugo

Sinopse:

Kaz Brekker e sua tripulação fizeram um roubo tão ousado que nem eles achavam que iriam sobreviver. Mas em vez de dividir uma farta recompensa, eles estão de volta a lutar pelas suas vidas. Traídos e desfalcados pelo sequestro de um membro valioso do time, a equipe está com poucos recursos, aliados e esperança. Conforme forças de todo o mundo vão até Ketterdam para extrair os segredos da perigosa droga conhecida como jurda parem, velhos rivais e novos inimigos emergem para desafiar a astúcia de Kaz e testar a frágil lealdade do time. Uma guerra irá se travar nas ruas escuras da cidade – uma batalha por vingança e redenção que irá decidir o destino da magia no mundo Grisha.

Após terem sobrevivido ao resgate de Kuwei Yul-Bo, Kaz e sua equipe acharam que uma grande quantia de dinheiro os aguardava em Ketterdam. Mas não foi bem isso o que eles encontraram. Jan Van Eck, pai de Wylan e o homem que contratou o serviço deles, os traiu. Além de não receberem nenhum centavo pelo serviço, Inej foi levada como refém por Jan Van Eck. Eles têm uma semana para trocar Kuwei por Inej, ou ela será assassinada. Só que se eles fizerem isso os segredos de jurda parem irão parar nas mãos de pessoas perigosas, que não se importam com a segurança dos Grishas e só querem lucrar com a droga. Agora eles têm que bolar um plano para conseguir o impossível, resgatar Inej, manter Kuwei a salvo e ainda recuperar o dinheiro que lhes é de direito.

Six of Crows foi um livro cheio de cenas de ação, mas Crooked Kingdom se superou nisso. Era uma cena atrás da outra. Várias reviravoltas. Não teve um minuto de descanso. A Leigh Bardugo ainda conseguiu dar profundidade para os personagens principais. Conseguimos ter um vislumbre maior do background e da história de cada um. Eu não sei se a Leigh se inspirou em Amsterdã ao criar Ketterdam, mas ao ler o livro eu não pude deixar de evitar de vislumbrar a cidade na minha cabeça.

Um dos diferenciais desse livro são que nossos mocinhos são todos anti-heróis. Eles roubam, eles mentem, eles matam, eles fazem de tudo para poder conseguir alcançar os seus objetivos. Mas porque eles são diferentes dos vilões comuns? Porque eles não fazem tudo isso deliberadamente, mas sim para sobreviver. O Kaz perdeu o irmão e tudo o que tinha em um golpe. Inej foi sequestrada e vendida como escrava para um bordel. Wylan foi renegado pelo seu próprio pai.

Minha única reclamação sobre esse livro é o fato de que não vão ter outros após ele. Acho que se a Leigh Bardugo quisesse, ela ainda conseguiria escrever sobre esse universo. Quem sabe no futuro, não é? Só nos resta torcer. 

Livro: Crooked Kingdom
Autor (a): Leigh Bardugo
Editora: Indigo
Número de Páginas: 536
Classificação: 

0 comentários:

Deixe seu comentário