Resenha: Tartarugas até lá embaixo - John Green


Antes de começar esse post queria me desculpar pelo sumiço dos últimos meses. Estou com um projeto de trabalho que tem tomado muito o meu tempo. Até ler eu não estava conseguindo. Agora finalmente consegui me organizar direitinho e os posts irão voltar ao normal. Prometo.



Sinopse:

A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto tenta lidar com o próprio transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).
Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, distúrbio mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

John Green ficou seis anos sem publicar nenhum livro, até que resolveu escrever um dos livros mais pessoais da sua carreira. O autor e a personagem principal, Aza Holmes, sofrem de transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). E só alguém que realmente passou/passa por isso saberia descrever as angústias e sofrimentos de uma pessoa que tenta lidar com esse transtorno. Tudo era muito real, não foi romantizado como a maioria dos livros fazem, você consegue sentir o desespero da personagem tentando lutar contra esse distúrbio. E esse é o foco principal da história, cenas de romance são pouquíssimas e o plano de fundo da busca pelo bilionário desaparecido é exatamente isso, plano de fundo.

Um dos homens mais ricos da cidade de Indianápolis desaparece. Por ser foragido da justiça, uma recompensa pela descoberta do seu paradeiro é oferecida. E Aza, junto com sua melhor amiga Daisy, resolvem investigar o que aconteceu com Pickett. Para isso elas precisam entrar em contato com um velho amigo de Aza, o filho de Pickett, que ela não vê há anos.

Ao mesmo tempo em que Aza tem que lidar com as pressões da vida adolescente (escola, decidir sobre o futuro, brigas com a melhor amiga), ela tem que lidar com o distúrbio que ela possui desde criança. Coisas que seriam fáceis para outras pessoas, para Aza é um martírio. E você ler do ponto de vista da Aza, faz com que você se coloque no lugar dela, cria empatia e faz com que você entenda porque ela faz as coisas que ela faz.

Esse sem dúvidas se tornou o meu livro favorito do John Green. Espero que ele não demore mais seis anos para publicar outro e que os livros se tornem cada vez melhores.


Livro: Tartarugas até lá embaixo
Autor (a): John Green
Editora: Intrínseca
Número de Páginas: 266
Classificação: 

0 comentários:

Deixe seu comentário